Dons que emocionam: Final do Dom Forró enaltece artistas  paraibanos

Campina Grande, 20 de maio de 2018
Durante a final do Dom, público enaltece o cantor e compositor Tom Oliveira Foto: Sara Lucena

Durante a final do Dom, público enaltece o cantor e compositor Ton Oliveira
Foto: Sara Lucena

Uma noite que enalteceu a cultura paraibana! A final do Dom, da TV Itararé,  foi muito além de uma competição, o forró mostrou para que veio e que ele ainda permanece, vivo, nas veias de quem respira o gênero. Além das disputas nas categorias de intérpretes e compositores, o Dom fez  também homenagens a artistas, especialmente os grandes compositores da música nordestina – como é o caso de Antônio Barros e Cecéu. Em relação aos jurados, a mesa foi composta pela jornalista e cantora Inaldete Amorim, filha do compositor e poeta Luiz Amorim, a jornalista e apresentadora da TV Itararé Pollyane Mendes, a cantora Eloísa Olinto, e os cantores e compositores Capilé, Biliu de Campina, Edgley Miguel e Ton Oliveira, o Dom Forró proporcionou uma belíssima tarde para quem aprecia a cultura, no Teatro Facisa.


No início, o Dom era um programa voltado para a MPB, mas segundo Saulo Queiróz, organizador do evento, “O forró estava perdendo terreno na grande mídia e no próprio São João” e essa foi a principal motivação para que a sexta edição fosse voltada apenas para o forró.

O programa de caça-talentos, realizado pela Fundação Pedro Américo e a TV Itararé, ganhou destaque ao longo dos anos por uma característica pertinente: dar voz e espaço para talentos artísticos em descoberta, na Paraíba. E foi isso que aconteceu! As vozes de Edra Veras, Samuel Franklin, Joelma Messias, Nana Siqueira, Joziel Santos, Franciel do Acordeon, Elon Barbosa, Matheus Alves, Lucas Barreto, Severo Ramos, Cloves Ferreira e Emiliano Pordeus encantaram a banca de jurados durante as apresentações da final do Dom Forró.

Biliu de Campina destacou a importância  desse espaço para a nova geração: ”Estava faltando esse tipo de movimento cultural pra enxergar aqueles que querem iniciar. No meu caso eu já tenho minha estrada pronta, é só conservar, os outros precisam de sua estrada.” Ao ser questionado sobre sua situação de jurado no evento, ele descreveu: “Uma dificuldade muito grande, têm intérpretes muito bons, tem músicas também, as inéditas… espetaculares! As antigas também estão sendo bem interpretadas pela turma, a festa só é boa quando o fuxico é maior e aqui já tem motivos demais pra gente conversar”.

 

Jurados e participantes

Jurados atentos aos participantes no Palco Foto: Sara Lucena

Jurados atentos aos participantes no Palco
Foto: Sara Lucena

Além de Biliu de Campina, também foram jurados da noite a jornalista e cantora Inaldete Amorim, a jornalista e apresentadora da TV Itararé Pollyane Mendes, a cantora Eloísa Olinto, e os cantores e compositores Capilé, Biliu de Campina, Edgley Miguel e Ton Oliveira.

Nos camarins, o Repórter Junino entrevistou alguns dos participantes, que enfatizaram a importância de programas como o Dom Forró, como comenta Lucas Barreto: “Não é só uma competição em que há uma rivalidade, mas um intercâmbio mesmo, musical, em que a gente faz amizades, a gente conhece outros cantores, outros músicos compositores, e isso agrega muito para alguém que trabalha com música.  Participar de um festival desse é muito importante por isso”. Lucas foi um dos vencedores de melhor intérprete dessa edição.

Ele dividiu o primeiro lugar com a conterrânea campinense Edra Veras, que também falou com a gente repleta de entusiasmo: “O Dom Forró abre portas para muitos artistas e compositores que estão querendo seguir uma carreira de história de muito forró, apesar do nosso forró estar tão carente, mas é uma oportunidade”.

Para chegarem à final, os competidores passaram por duas etapas: a primeira foi a seleção, na qual eles enviaram seus trabalhos juntamente com a ficha de inscrição para a produção do programa da TV Itararé;  já a segunda, a semifinal, cabia à cada participante apresentar suas músicas com a banda oficial do Dom. Dos 24 participantes que passaram por esta última etapa, 12 intérpretes foram classificados para a final, que ocorreu ontem no Teatro Facisa.

 

Antônio Barros e Cecéu foram homenageados no palco do Teatro Facisa pela contribuição ao Forró Foto: Mayara de Oliveira

Antônio Barros e Cecéu foram homenageados no palco do Teatro Facisa pela contribuição ao Forró
Foto: Mayara de Oliveira

 

Emoções, reconhecimento e talentos no palco e nos bastidores

O coordenador do evento, Saulo Queiróz, emocionado, atribuiu o sucesso à cooperação e ao trabalho em equipe, e enfatizou à equipe do Repórter Junino:  “Não adianta fazer nada só, você tem que ter pessoas que cooperam e tem coração. Biliu de Campina, Ton Oliveira, Inaldete Amorim, que está se recuperando de uma cirurgia… Amazan apresentou o programa gratuitamente pra gente! Então eles emprestaram os dons deles para revelar novos dons, tem coisa melhor do que isso?”

Na categoria de melhor composição, o vencedor do 1° lugar,  Hugo César, argumentou a importância do evento neste início de trajetória: “É uma via importante para que a música ecoe, quem não canta fica mais difícil mostrar a sua música. O festival é um espaço em que você pode tirar isso aí da gaveta.”

O evento contou, inclusive, com outras apresentações, durante o horário de votação que se deu online por meio do site oficial da TV Itararé. Subiram ao palco, o grupo de dança Tropeiros da Borborema, com uma seleção de forró, baião e xote, os jurados Edgley Miguel e Luizinho Calixto, como também a dupla que venceu o Dom de 2016 de melhor intérpretes, Augusto Arruda e Iracy Gouveia.

Conversamos com o compositor Antônio Barros, um dos homenageados da noite, que juntamente com Cecéu já possuem mais de 700 canções registradas. Com um largo sorriso no rosto ele destacou: “É bom demais! Eu estou muito feliz com isso [a homenagem], Campina Grande está reconhecendo sua cultura, vocês jovens conhecem sabendo disso, é muito bom!”

Por fim, Saulo lembrou da importância de dar espaços para os vencedores, e nos contou que a intenção é que eles tenham espaço na programação do Maior São João do Mundo e no Arraial Itararé para se destacarem cada vez mais.

 

Premiação para intérpretes e compositores

Além do reconhecimento dos artistas que chegaram à final do Dom Forró, o programa tem premiações que ajudam na carreira. Os vencedores das categorias de “Melhor Intérprete” e “Melhor Composição” ganham troféu e produção, direção, gravação e exibição de uma apresentação no estilo pocket show com duração de 30 minutos no próprio Teatro Facisa. Toda a estrutura é da TV Itararé. A final do Dom Forró a menos de duas semanas para o São João permite a repercussão do trabalho dos vencedores. Veja fotos exclusivas do Dom Forró em galerias do Instagram e do Facebook do Repórter Junino


Reportagem e fotos: Mayara de Oliveira Sousa e Sara Lucena

Comentários