Sobre o Projeto

Campina Grande, 20 de junho de 2017

O PROJETO REPÓRTER JUNINO foi lançado oficialmente em 3 de junho de 2005 pelos professores Fernando Firmino da Silva e Águeda Miranda Cabral para cobertura, na modalidade jornalismo digital, do São João de Campina Grande e do Nordeste. Em 2017, chegamos aos 12 ANOS DO REPÓRTER JUNINO. E essa décima segunda edição é coordenada pelos professores Fernando Firmino da Silva e Arão de Azevedo. Projeto de extensão do Curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Estadual da Paraíba – UEPB, o Repórter Junino está na sua décima edição ininterrupta e surgiu  de forma incipiente numa turma de 30 e poucos alunos de Novas Tecnologias da Comunicação do Departamento que buscava aliar teoria e prática do jornalismo mais a oportunidade de utilizar os festejos juninos como laboratório de produção. Em 2010, o projeto foi apontado como um dos mais antigos projetos e exemplo de laboratório de ensino e práticas de jornalismo digital no Brasil no livro “Mapeamento do Ensino do Jornalismo Digital em 2010”, publicado pelo Rumos Itaú Cultural.

Em 2017, o projeto conta com o apoio do PROEXT – MEC/SESu edital 2015. E também do Canal Futura/Fundação Roberto Marinho por meio das Universidades Parceiras.

A combinação de cultura popular pulsante com novas ferramentas digitais de produção, distribuição e circulação de informações fez emergir uma das mais inovadoras iniciativas para a formação cultural, técnica, ética e comunicacional de centenas de estudantes de comunicação do curso. Durante esses oito anos, mais de 800 alunos já participaram do projeto, além de estudantes também de outras instituições como FIP  e CESREI (Paraíba), UERN (Rio Grande do Norte), UESB e UFBA (Bahia). Em 2013 e 2014, alunos e professores da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, do curso de Comunicação Social – Educomunicação; da Universidade Federal do Ceará – UFC (curso de Jornalismo do campus Cariri); e da Universidade do Estado da Bahia, do curso de Jornalismo e Multimeios participaram ativamente do projeto em parceria com o Projeto Repórter Junino. Em 2017, o Projeto mantem parceria com o Curso de Comunicação Social – linha Educomunicação da Universidade Federal de Campina Grande.

Os alunos participantes do Projeto Repórter Junino têm a oportunidade de produção de notícias, reportagens multimídia, gravação de programas radiofônicos para distribuição em podcasts na webrádio junina e produção de programas para a webtv junina. Professores do DECOM acompanham e orientam os alunos nas rotinas diárias de produção e edição transformando essa iniciativa num laboratório de jornalismo digital.

Devido à dimensão que o Projeto adquiriu, durante o início do ano letivo abre-se um processo de seleção para a definição da equipe de cada ano entre repórteres, editores e repórteres-fotográficos. Em 2017, mais de 160 alunos se candidataram a 50 vagas oferecidas para estagiar durante 30 dias do São João nas duas redações que abrigam a equipe: uma na Central de Imprensa (cedida pela parceria com a Prefeitura) e outra no Laboratório Multimídia do Projeto do Departamento de Comunicação.

Para preparar os alunos para a prática jornalística e desenvolver suas habilidades são programados treinamentos para texto para web, reportagem multimídia, edição de áudio e vídeo, técnicas de reportagem e entrevista, além de domínios específicos em relação ao Gerenciador de Conteúdo do site e de aplicações digitais no Curso Intensivo de Jornalismo Digital e Reportagem.

Redação em nuvem – Para melhorar o fluxo de produção, a partir desta edição do Projeto Repórter Junino os alunos (repórteres, editores, fotógrafos e coordenadores) adotaram o conceito de “redação em nuvem” com a edição dos textos feita exclusivamente em plataforma Google Docs acessada online e que permite edição em tempo real, compartilhamento das matérias, conversação entre repórteres e editores, trabalho a distância e em qualquer dispositivo com web browser como celulares, tablets e computadores desktop.

O conceito de redação em nuvem origina-se da idéia de computação em nuvem, que se constitui em que todas as aplicações podem ser acessadas diretamente na internet sem instalação de programas no computador. Uma das vantagens da adoção dessa plataforma é que além do trabalho a distancia, em tempo real e de forma interativa entre a equipe, os alunos poderão acompanhar as revisões do texto permitindo uma aprendizagem mais dinâmica. O trabalho será, inclusive, potencializado com o uso de dispositivos móveis para essa edição, trazendo inovações e aspectos de convergência jornalística para o Repórter Junino. Além da redação em nuvem, repórteres também trabalham em mobilidade utilizando tablets e smartphones na produção dentro da noção de jornalismo móvel.

Durante os 30 dias de cobertura de Campina Grande e do Nordeste o Repórter Junino segue no ritmo do São João atestando o que o cantor e compositor Amazan já disse: “Nesse Brasil de Caboclo de Luiz Rei do Baião/ e do Repórter Junino orgulho do São João”.

 

Apoio:

Projeto realizado com o apoio do PROEXT – MEC/SESu.

Captura de tela 2017-05-13 23.15.46

 

 

 

 

Projeto com apoio de parceria com Canal Futura/Fundação Roberto Marinho

13177792_1216540135037926_419405115432539416_n

 

 

 

 

(atualizado em 20 de junho de 2017).